Sagaranagens de Artur Rimbaud o Traficante de Escravas Brancas


23/08/2006


A Pedra

 

a pedra em seu silêncio

fala da vertigem

dentro da  noite veloz

e da espécie que não dorme

mesmo quando o sono

lhe atravessa mesmo muda

sempre diz da cicatriz

na carne e sangra

a pedra chora a pedra fala

a pedra canta quando chove

e o seu amor aflora

na fenda que escapa

entre suas pálpebras

que são dois lhos d’água

nos olhos da manhã

 

Artur Gomes

http://arturgomes.zip.net

http://quartacomverso.blogspot.com

 

 

Escrito por artur rimbaud às 18h37
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web: